ACESSIBILIDADE MAPA DO SITE ALTO CONTRASTE TAMANHO DA FONTE:
  • A+
  • A
  • A-

POSTADO EM 16 jan 2014 · Saúde

DENGUE

TRISTE REALIDADE: GRANDE PARTE DA POPULAÇÃO DE VIANÓPOLIS NÃO COLABORA NOS TRABALHOS DOS AGENTES AO COMBATE À DENGUE

Por Olívio Lemos

Uma triste realidade…

Infelizmente, a população de Vianópolis não colabora como realmente precisa no combate à dengue.

De acordo com Gonzaga Pereira da Silva, funcionário da Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde e que trabalha no Núcleo de Vetores da Secretaria Municipal de Saúde, os moradores não dão respaldo aos agentes de saúde que realizam seus trabalhos de acordo com o que preconiza o Ministério da Saúde.

É pedido sempre aos moradores que façam uma vistoria em seus quintais e não deixem objetos que possam acumular água, assim como colocar areia nos pratos de vasos de plantas.

No entanto, muitos moradores não atendem esse pedido e são encontrados em residências, quando da volta dos agentes de saúde, locais com água parada que se tornam criadouros do mosquito transmissor da dengue.

Gonzaga Pereira da Silva disse que um trabalho especial está sendo feito em Vianópolis, além das visitas a residências, que são visitas a locais, tais como borracharias, oficinas mecânicas e outros. Segundo ele, apesar do Ministério da Saúde determinar que as visitas sejam feitas de dois em dois meses, os agentes de saúde de Vianópolis estão vistoriando esses locais especiais quinzenalmente.

Para Gonzaga Pereira da Silva, a responsabilidade do combate à dengue não é só do Poder Público, mas de todos os moradores da cidade. Sem essa ajuda, o trabalho dos agentes de saúde fica comprometido, os índices de infestação podem aumentar e casos de dengue surgirem.

Mesmo sendo um município onde em 2013 foram registrados 64 notificações e apenas 26 casos de dengue confirmados, é preciso que a população esteja sempre atenta e não deixe de combater à dengue

E até o momento, nenhum caso de dengue foi registrado em nossa cidade, sendo que neste mês de janeiro, de acordo com os últimos dados da Secretaria de Saúde, o índice de infestação do mosquito transmissor da dengue foi de 0,65, considerado de baixo risco.

Duas notificações chegaram ao Núcleo de Combate a Vetores, mas, felizmente, o resultado foi negativo.

 

Fonte: Correspondente Vianopolino