ACESSIBILIDADE MAPA DO SITE ALTO CONTRASTE TAMANHO DA FONTE:
  • A+
  • A
  • A-

POSTADO EM 08 jan 2014

Secretário de Agricultura

(06.01.2013) – SECRETÁRIO DE AGRICULTURA DE VIANÓPOLIS FALA SOBRE O CENTRO DE COMERCIALIZAÇÃO DA AGRICULTURA FAMILIAR, CUJA OBRA ESTÁ PARALISADA

Texto e Foto: Olívio Lemos

Na última sexta-feira, apresentamos matéria de que o Centro de Comercialização da Agricultura Familiar, iniciado próximo ao Trevo de Vianópolis, é uma das obras públicas que entra para o registro de “elefante branco”.

Obra do Governo Federal com pequena contra partida da Prefeitura de Vianópolis e iniciada na administração do ex-prefeito Antônio Divino de Rezende está abandonada.

O Secretário de Agricultura de Vianópolis, Hugo Antônio Borghi procurou nossa reportagem para falar sobre o assunto.

Ele destacou que um levantamento foi feito por sua pasta e para que uma reforma seja feita no prédio erguido próximo ao Trevo de Vianópolis seriam necessários mais de R$ 80.000,00(Oitenta Mil Reais).

Segundo ele, a Prefeitura Municipal considera um gasto muito grande para se usar o Centro para comercialização de produtos de agricultores das cidades do Território Estrada de Ferro.

Hugo Antônio Borghi diz que seria inviável para uma vendedora de tapetes residente na cidade de Urutaí, que faz parte do Território Estrada de Ferro, vir até Vianópolis comercializar seus produtos.

Para Hugo Antônio Borghi somente daria certo o funcionamento do Centro de Comercialização, se todas as prefeituras das cidades da região se unissem na reforma e manutenção do local.

Ao ser indagado se o MDA(Ministério do Desenvolvimento Agrário) repassasse o prédio para a Prefeitura de Vianópolis para ser usado para outra finalidade, a Prefeitura poderia investir na reforma do centro, Hugo Antônio Borghi disse que isto poderia acontecer, mas para atender apenas o município de Vianópolis.

Ele finalizou afirmando que caso a Prefeitura reforme o Centro de Comercialização, o mesmo poderia ser usado pela Associação dos Apicultores para venda de mel e até mesmo, no futuro, para venda de pescados produzidos em nosso município.

Fonte: Correspondente Vianopolino